O que são DPS e Filtro de Ruídos?


DPS é a sigla de Dispositivo de Proteção Contra Surtos, ou seja, pára-raios de linha, que protege os equipamentos elétricos contra descargas elétricas que possam circular pela rede causando a queima dos mesmos. Os componentes vendidos no mercado hoje com o nome simples de "DPS" são em geral uma caixa parecida com um disjuntor comum que contém no seu interior apenas um varistor, que realmente irá proteger a instalação contra surtos, mas sua vida útil depende da quantidade e intensidade de surtos a que este for submetido, pois sua degradação é diretamente proporcional a estes parâmetros.


Como Eliminar esses Problemas?


O Qualificador de Energia ajustado para a tensão correta analisa a energia mantendo apenas a freqüência fundamental (60HZ) eliminando toda a "sujeira" e os surtos desviando-os para o Terra (aterramento próprio).


O que são Picos e Harmônicas?


Picos de tensão são tensões muito altas por um tempo muito curto (normalmente milisegundos) que dependendo da intensidade podem danificar equipamentos conectados à rede elétrica. Harmônicas são freqüências múltiplas da fundamental que transitam na rede causando falhas instantâneas e sistemáticas em equipamentos de proteção, equipamentos eletrônicos sensíveis e sobrecarregando capacitores, condutores e inversores de freqüência resultando na queima dos mesmos.


Como aparecem as Harmônicas transientes?


Antigamente a energia elétrica era usada para alimentar motores e máquinas pesadas, ou seja, essencialmente cargas lineares.
Atualmente, os novos equipamentos eletrônicos injetam na rede uma quantidade muito grande de interferências, o que torna a carga não-linear. Estes fenômenos transitórios ou transientes são formados por essa interferência, e o mais importante e maior causador de sinistros é chamado de "harmônicas".


Quem gera os Transientes nas Instalações?


As harmônicas são geradas por CLP´s, inversores de freqüência, computadores, retificadores de corrente, reatores, no-breaks, etc.., mas também transitam na rede e podem vir de fora de suas instalações, gerados em outro cliente da concessionária fornecedora de energia (p.ex.: alguma empresa vizinha à sua).


A vida útil dos Equipamentos aumenta? Por quê?


Sim. Com a energia elétrica requalificada, os equipamentos passam a trabalhar de maneira correta, por ex.: os capacitores trabalham sem sobrecarga, então sua temperatura volta a condições normais, sem haver perigo de queima ou explosão dos mesmos; inversores de freqüência têm sua alimentação correta sem perda por fator de potência reduzido por interferência harmônica, reduzindo as queimas por sobrecarga.


A Cia fornecedora de Energia permite a instalação?


O Qualificador está dentro da lei, e é colocado dentro das instalações do consumidor, o que é autorizado pela resolução da ANEEL (Agencia Nacional de Energia Elétrica) n°456 de 29 de novembro de 2000, que diz "a responsabilidade da concessionária fornecedora de energia elétrica vai até o ponto de entrega desta energia (medidor de consumo)...".


O Qualificador de Energia diminui a queima de lâmpadas?
E o que mais?


Sim ele garante a alimentação dos equipamentos com energia elétrica com qualidade, proporcionando a redução da queima de lâmpadas, do aquecimento de condutores, proteção contra raios que venham pela rede elétrica, redução nas perdas de transformadores, redução de manutenção corretiva de equipamentos elétricos, redução da queima de equipamentos caros como inversores de freqüência, redução no erro de leitura e indicação de instrumentos elétricos (por ex. o medidor da cia de energia).


O Sistema tem um custo mensal de manutenção?


O sistema não precisa de manutenção periódica, necessitando apenas da observação das luzes de indicação de funcionamento (leds), e no caso de manutenção ou troca não há custo nenhum, desde que esteja no período de garantia.


Qual é esse período de Garantia?


A TRAFF SUL dá uma garantia de 03 (três) anos para os equipamentos.


Preciso desligar "TUDO" para Instalar o Sistema de Proteção?


Na maioria dos casos não é necessário que se desligue tudo. O Qualificador pode ser instalado com o sistema elétrico energizado, que chamamos de linha viva, desde que o trabalho seja feito por pessoa habilitada para trabalhar em linha viva.


Se o Qualificador "QUEIMAR" fico sem Energia Elétrica?


Não. O Qualificador é ligado em paralelo com a carga e assim não interfere nem gera consumo extra ao sistema.


O Qualificador corrige oscilações?


Primeiro vamos entender o que são oscilações: as oscilações de energia podem ser de dois tipos:
- SAG (diminuição da tensão)
- SWELL (pico de tensão)
Os Qualificadores só atuam em picos de tensão, por isso, diminuem as oscilações, mas não eliminam totalmente visto que só corrigem quando se trata de excesso (pico). Quando há "queda de energia" (diminuição da tensão) o Qualificador não terá nenhum efeito.


O Qualificador é a mesma coisa que banco de capacitores?


Não, os capacitores ou banco de capacitores servem para corrigir o fator de potência da rede, enquanto os Qualificadores eliminam os efeitos transitórios que prejudicam os bancos de capacitores e que também ampliam o efeito nocivo de um baixo fator de potência. Para entendermos melhor vejamos alguns conceitos:
Fator de potência: quando recebemos a energia elétrica teoricamente dizemos que a tensão e corrente estão em fase, e se multiplicarmos uma pela outra teremos a potência aparente "S" (em kva).



No entanto quando usamos energia em motores de indução uma parte que não é utilizada é chamada de energia reativa indutiva que causa o atraso na corrente diminuindo a potência e temos a potência ativa "P".



O fator de potência é a relação entre a potência ativa e a potência aparente conforme mostra a figura abaixo:



A atual regulamentação brasileira do fator de potência estabelece que o mínimo fator de potência (FP) das unidades consumidoras deve ser de 0,92. A partir de abril de 1996 o cálculo do FP é feito por média horária. O consumo de reativos além do permitido (0,425 VArh por cada Wh) é cobrado do consumidor. No intervalo entre as 06:00 hs e as 24:00 hs isto ocorre se a energia reativa absorvida for indutiva, e das 00:00 às 06:00 hs, se for capacitiva.
É evidente a relação entre o FP e a distorção da corrente absorvida da linha. Assim vemos que a eliminação das correntes harmônicas melhora a eficiência dos capacitores em relação ao FP geral, e aumenta o fator de potência disponível a cada equipamento.


Qual modelo de Qualificador de Energia eu preciso?


A especificação do Qualificador adequado depende de dois fatores a serem analisados:
* O consumo mensal em kWh, que serve de indicativo sobre o volume de energia que circula pela instalação no período de um mês.
* Os problemas existentes em sua instalação (queimas de placas, lâmpadas, equipamentos, perda de dados em CLP%u2019s e computadores, perda de produção, etc..)
Nossos representantes estão habilitados para recolher as informações necessárias para a correta especificação dos Qualificadores para sua instalação, e indicar qual é o equipamento ideal para V. Sa., ou, caso seja necessário, acionar nossa Engenharia para que o faça.


O Qualificador de Energia serve para que voltagem?


Nosso equipamento comercializado normalmente cobre tensões de até 380VAC, mas temos equipamentos para quaisquer tensões feitos sob encomenda, sem custo adicional algum.


As lâmpadas vão continuar a piscar depois da instalação
do Qualificador de Energia?


Se o problema for de picos de tensão, as lâmpadas não irão piscar mais e o problema será resolvido totalmente.


Como é o Sistema de distribuição de Energia Elétrica?


Uma rede de distribuição deve fazer a energia chegar até os consumidores de forma mais eficiente possível.
A Figura abaixo mostra o esquema simplificado de uma distribuição típica. A subestação redutora diminui a tensão da linha de transmissão para 13,8 kV, chamada de distribuição primária, que é o padrão geralmente usado nos centros urbanos no Brasil. São aqueles três fios que se vê normalmente no topo dos postes.
Essa tensão primária é fornecida aos consumidores de maior porte os quais, por sua vez, dispõem de suas próprias subestações para rebaixar a tensão ao nível de alimentação dos seus equipamentos.




O que são Harmônicas?


A Energia Elétrica que recebemos é de corrente alternada e tem a freqüência de 60Hz que chamamos de fundamental; harmônicas são correntes com freqüências múltiplas da fundamental que transitam no sistema causando grandes danos a equipamentos e condutores. Os equipamentos passam a trabalhar de forma deficiente, há prejuízo ao fator de potência, capacitores são sobrecarregados, o isolamento dos condutores sofrem perdas devido a altas temperaturas dos mesmos, ocorrem queimas de equipamentos mais sensíveis como inversores de freqüência, softstarters, placas de interface entre equipamentos, etc., e com a diminuição da qualidade da energia, se paga mais do que se consome, graças ao desperdício!


Porque os Harmônicas são prejudiciais?


As instalações elétricas necessitam de uma alimentação estável e confiável, mas, em todos sistemas elétricos existem componentes harmônicas que causam efeitos indesejáveis ao funcionamento do sistema, por exemplo:

Motores e Geradores
O maior efeito das harmônicas em máquinas rotativas (de indução e síncronas) é o aumento do aquecimento devido ao aumento das perdas no ferro e no cobre. Afeta-se assim sua eficiência e o torque disponível. Além disso, tem-se um possível aumento do ruído audível, quando comparado com alimentação senoidal. O efeito cumulativo do aumento das perdas reflete-se numa diminuição da eficiência e da vida útil da máquina. A redução na eficiência é indicada na literatura como de 5% a 10% dos valores obtidos com uma alimentação senoidal.

Transformadores
Também neste caso tem-se aumento nas perdas. Harmônicas na tensão aumentam as perdas no ferro, enquanto harmônicas na corrente elevam as perdas no cobre. A elevação das perdas no cobre deve-se principalmente ao efeito pelicular, que implica numa redução da área efetivamente condutora à medida que se eleva a freqüência da corrente. Associada à dispersão existe ainda outro fator de perdas que se refere às correntes induzidas pelo fluxo disperso. Esta corrente manifesta-se nos enrolamentos, no núcleo e nas peças metálicas adjacentes aos enrolamentos. Estas perdas crescem proporcionalmente ao quadrado da freqüência e da corrente. Existe ainda uma maior influência das capacitâncias parasitas (entre espiras e entre enrolamento) que podem realizar acoplamentos não desejados e eventualmente produzir ressonâncias no próprio dispositivo.

Cabos de alimentação
Em razão do efeito pelicular, que restringe a secção condutora para componentes de freqüência elevada, também os cabos de alimentação têm um aumento de perdas devido às harmônicas de corrente. Além disso, tem-se o chamado "efeito de proximidade", o qual relaciona um aumento na resistência do condutor em função do efeito dos campos magnéticos produzidos pelos demais condutores colocados nas adjacências. Além disso, caso os cabos sejam longos e os sistemas conectados tenham suas ressonâncias excitadas pelas componentes harmônicas, podem aparecer sobre-tensões elevadas ao longo da linha, podendo danificar o cabo.

Capacitores
O maior problema aqui é a possibilidade de ocorrência de ressonâncias (excitadas pelas harmônicas), podendo produzir níveis excessivos de corrente e/ou de tensão. Além disso, como a reatância capacitiva diminui com a freqüência, tem-se um aumento nas correntes relativas às harmônicas presentes na tensão. As correntes de alta freqüência, que encontrarão um caminho de menor impedância pelos capacitores, elevarão as suas perdas ôhmicas. O decorrente aumento no aquecimento do dispositivo encurta a vida útil do capacitor.

Equipamentos Eletrônicos
Alguns equipamentos podem ser muito sensíveis a distorções na forma de onda de tensão. Por exemplo, se um aparelho utiliza o cruzamento como zero (ou outros aspectos da onda de tensão) para realizar alguma ação, distorções na forma de onda podem alterar, ou mesmo inviabilizar, seu funcionamento.
Caso as harmônicas penetrem na alimentação do equipamento por meio de acoplamentos indutivos e capacitivos (que se tornam mais efetivos com o aumento da freqüência), eles podem também alterar o bom funcionamento do aparelho.

Aparelhos de Medição
Aparelhos de medição e instrumentação em geral são afetados por harmônicas, especialmente se ocorrerem ressonâncias que afetam a grandeza medida. Dispositivos com discos de indução, como os medidores de energia, são sensíveis a componentes harmônicas, podendo apresentar erros!

Relés de Proteção e fusíveis
Um aumento da corrente eficaz devida a harmônicas sempre provocará um maior aquecimento dos dispositivos pelos quais circula a corrente, podendo ocasionar uma redução em sua vida útil e eventualmente sua operação inadequada. O desempenho de um relé considerando uma faixa de freqüências de entrada não é uma indicação de como aquele componente responderá a uma onda distorcida contendo aquelas mesmas componentes espectrais. Relés com múltiplas entradas terão comportamento ainda mais imprevisíveis.


As Harmônicas são cobrados do consumidor na conta de luz?


Não existe ainda cobrança pela existência de harmônicas, mas já existem normas relativas ao limite de correntes harmônicas que podem ser injetadas no sistema de distribuição (Norma IEC1000-3-2, IEEE-5 de 19 de outubro 1991). Os medidores de energia ainda não estão capacitados para esta leitura. Por enquanto!


Conclusão


A utilização dos Qualificadores de Energia ou Sistemas de Filtragem de Energia em qualquer circuito vai sempre proporcionar economia através da melhoria da qualidade desta energia, da redução das perdas até nos capacitores, do aumento da vida útil dos equipamentos, da redução da manutenção e da troca de peças e, inclusive, da redução do consumo em kWh na instalação.






Av. Brasil, 2680 - Centro - CEP 95700-000 Campo Bom / RS
Fone/Fax: (51) 3038 7530 | traffsul@traffsul.com.br